Review do álbum Borderline dos The Young Tree

 A banda italiana, The Young Tree, apresenta-nos o seu segundo álbum, Bordeline, produzido por Madaski (Africa Unite). É um trabalho rico em temas humanos e sociais, que abordam aspectos da vida quotidiana e da sociedade em que vivemos, como também reflexões mais introspectivas e homenagens à música e à natureza.

 Precedido pelo nome da faixa do single Borderline continua a sua jornada começada com a estreia do álbum Seed, afastando-se, assim, das restrições impostas num género musical como o reggae. Desta vez a produção ajuda a definir a identidade sonora do grupo, graças à mão especializada de um dos membros da histórica banda Africa Unite.

 A falar sobre o álbum, Madaski afirma: “Foi sem dúvida alguma a produção artística mais interessante que já fiz para uma banda de reggae. Os temas do álbum variam entre amplos e diversos humores, influências, sons e estilos. Os vocais foram muito precisos e criaram linhas melódicas bastante incomuns que se encaixam muito bem no tecido musical. A banda mostrou ter uma mente muito aberta e vontade de renovar um som por vezes ossificado, afastando-se do comum. Na minha opinião, os The Young Tree são o grupo mais talentoso deste tipo encontrado hoje em Itália“.

 O Borderline está disponível em todas as plataformas digitais – e no formato de CD nos concertos da banda.

 

Créditos

Líricas: Leonardo Duranti e Maurizio Pellegrina
Música: The Young Tree
Masterização e Produção: Madaski – Dub the Demon rec. – Pinerolo (TO)
Sound Engineer: Edoardo Pellizzari – Teatro delle Voci Studios (TV)
Master: Simone Squillario – Hybrid Mastering Studio (TO)
Artwork: Cosimo Miorelli

TRACKLIST

1 – Survivor
2 – Borderline
3 – Sniper
4 – Moonlight Powa
5 – Leaves
6 – Countdown
7 – Premonition
8 – Caution
9 – Lazy
10 – Hole