No início do ano corrente, Luxemburgo criou uma petição onde os assinantes pediam a legalização da canábis para uso recreativo e a sua distribuição em estabelecimentos públicos pelo país. As assinaturas foram suficientes, pois o tema foi discutido e aprovado para fins medicinais, pelo parlamento luxemburguês – por unanimidade – no passado mês de Julho.

Segundo o Luxembourg Times, durante uma conferência de imprensa do governo, o vice primeiro-ministro Etienne Schneider confirmou a intenção de – em breve – a planta ser distribuída comercialmente, sendo também legalizada para fins recreativos. Os deputados já terão discutido algumas limitações quanto à legalização, entre as quais, que a planta apenas possa ser vendida a residentes autorizados e que haja penalizações nas tentativas de venda a menores (e perto das escolas). Simultaneamente, o governo prepara um gabinete e plano de prevenção e informação quanto ao uso de Marijuana.

No passado dia 15 de Junho de 2018, Portugal viu o parlamento dar mais um passo a favor desta planta, sendo que aprovou o consumo de canábis de forma medicinal – com receita médica e comprovada em farmácia – e os medicamentos comercializáveis têm que ter uma autorização prévia do Infarmed. Embora não saibamos quando, a lei espera uma regulamentação.