Diferença entre um Sound System e um Sound! Sabe mais no artigo rasta!

Neste artigo vamos explicar qual a diferença entre um Soundsystem (sistema de Som) e um Sound!

Começando pelo primeiro, o conceito de sistema de som tornou-se popular nos anos 40, pelas ruas de Kingston. As crews carregavam camiões com um gerador, toca-discos e colunas enormes e faziam festas nas ruas. Em meados da década de 1950, os sistemas de som eram mais populares do que os eventos com música ao vivo e, na segunda metade da década, sistemas artesanais começaram a aparecer! Com o passar do tempo, os sistemas de som tornaram-se mais altos e capazes de reproduzir frequências graves a 30.000 watts ou mais, com potência semelhante atingível nas frequências média e alta – e muito mais complexas do que seus antecessores.

Alguns sound systems começaram-se a destacar, e a rivalidade surgiu. Essa situação deu origem a uma importante figura nesta cultura: o Soundclash, uma espécie de batalha entre sound systems.

Como os Sound Systems continuaram a ganhar cada vez mais adeptos e popularidade nas décadas de 1960 e 1970, tornaram-se politizados em muitos aspectos. Muitos sistemas de som jamaicanos foram rotulados como apoiantes de um partido político em particular (como o PNP ou o JLP), mas a maioria dos sistemas de som tentou manter a neutralidade política. No entanto, o sector foi afectado pelas vastas mudanças sócio-políticas ocorridas na Jamaica naquele momento. Derivado a toda a instabilidade política que o país atravessava, a cultura foi trazida para o Reino Unido com a imigração em massa dos jamaicanos, expandido-se assim gradualmente para todo o mundo. Dentro dos nomes mais importantes que levaram a cultura do sound system jamaicano para a Europa estão Jah Shaka, Fatman International, Aba Shanti-I e Channel One. Nos Estados Unidos, um dos primeiros sound systems a aparecer foi o “Downbeat the Ruler”, em Nova Iorque, no final dos anos 1970.

Para conclusão, um sound system é considerado um sistema de som construído artesanalmente, composto por Colunas, Cornetas, amplificador, mesa de mistura, crossover, cabos de sinal, cabos de speakers, fichas de ligação, conectores, equalizador, e na maioria das vezes 2 gira-discos. Quanto à crew é dividida em: o(s) Selecta, o(os) Mc, o(s) técnicos e a(s) equipa de apoio móvel. 

Em Portugal contamos já com alguns sound systems de renome, tais como Roots Dimension ( considerado o primeiro sound system nacional, que conta já com 10 anos de percurso) Simply Rockers Sound System, Mystic Fyah Sound System, Backyard Sound System, Nu Bai Sound System, Youth Culture Hi Fi Sound System e os mais recentes Nomad Embassy Sound System.

Quanto ao segundo que também está interligado no percurso do sound system, um sound também é considerada uma crew composta na maior parte das vezes por um Selecta e um Mc (toaster), podendo ter ou não mais membros. A diferença entre eles é que enquanto um Sound System constrói o seu próprio sistema de som, o outro já tem ao seu dispôr o equipamento necessário para actuar.  Não podemos descurar nenhuma função porque todas elas são importantíssimas, mas o papel de um selecta é muito importante, um bom Selecta tem que conhecer centenas de discos e ter habilidade para a função que desempenha (se quiser ser bem sucedido). E na maior parte das vezes a dificuldade desta posição são frequentemente subestimadas.